Créditos: A.I. Indaiatuba
O secretário municipal de Esportes de Indaiatuba, Humberto Panzetti, participará como expositor em Mesa Redonda promovida pela Comissão do Esporte na Câmara dos Deputados, em Brasília, no próximo dia 30 de junho, que debaterá a proposta de Plano Nacional do Desporto. Na qualidade de presidente da Asmel (Associação Nacional dos Secretários Municipais de Esporte e Lazer), Panzetti comentará diversos aspectos relativos às diretrizes da proposta, especialmente no que tange ao orçamento e gerenciamento de recursos para o esporte em nível municipal. “Dentro de todos os fatores que compõem este planejamento, é importante considerarmos que hoje não temos uma atribuição efetiva, por exemplo, na destinação de equipamentos esportivos de alto custo”, ressalta o secretário. “Ao contrário do que acontece hoje em Indaiatuba, muitas vezes uma cidade que não tem a mínima estrutura de gestão nesta área, com uma secretaria estruturada e mesmo uma destinação mínima do orçamento para o esporte, recebe um equipamento caro, que consome verba federal, e que depois não terá o aproveitamento e utilização corretos. Esse é um dos pontos que pretendo abordar na exposição e que acredito que seja necessário considerar no plano”, diz. “O que me deixa muito satisfeito também é constatar que nosso município, que está entre os poucos que possuem mais de 2% do orçamento dedicado ao esporte, já possui uma atuação em conformidade com várias diretrizes deste planejamento, englobando investimento em esporte de base e formação, participação e política transparente para o alto rendimento”, conclui Panzetti. Após esta etapa final de debates para aprimorar o conteúdo do documento, o Plano Nacional do Desporto será deliberado no âmbito da Subcomissão Especial e, depois, no plenário da Comissão Permanente do Esporte, para então ser transformado em uma Indicação para o Ministério do Esporte.
O Plano Nacional do Desporto surgiu com a alteração da Lei Pelé – Lei nº 9.615, determinando-o como instrumento de planejamento do esporte no Brasil. O objetivo é determinar uma proposta de longo prazo para o esporte brasileiro, assegurando aos diversos agentes do segmento uma orientação sobre o que os brasileiros esperam e desejam de uma nação esportiva. Sua discussão foi iniciada na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados, com a instalação da Subcomissão Especial do Plano Nacional do Desporto, criada em 2015. Além das reuniões internas e debates com especialistas, foram realizadas também audiências públicas. O plano contempla cinco diretrizes básicas:
1)    Instituição de programa que garanta o acesso à prática e à cultura do Esporte, de forma a promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens, nas escolas de ensino fundamental
2)    Instituição de programa que possibilite o acesso à prática e à cultura do Esporte, de forma a promover a saúde, a qualidade de vida e o desenvolvimento integral de jovens e adultos
3)    Tornar o Brasil potência esportiva de alto rendimento
4)    Construir uma estrutura de especialização e aperfeiçoamento esportivo para o alto rendimento, garantindo a todos os jovens o acesso a essa cadeia produtiva
5)    Consolidar o Plano Nacional do Desporto como instrumento imprescindível para o planejamento e desenvolvimento do esporte no Brasil
Dentro de cada uma destas diretrizes, o documento estabelece metas e ações com o intuito de concretizar o planejamento. Outras informações estão disponíveis no site www.esporte.gov.br